Oxímetro de Pulso: 5 dicas para acertar na escolha

A aquisição de um oxímetro de pulso, assim como qualquer aparelho médico, requer cuidado e atenção, visto que vai avaliar funções vitais importantes do funcionamento do corpo humano.  E, por isso, precisa ter sua qualidade atestada.

Por conta disso, aspectos importantes devem ser levados em consideração no momento da escolha, como precisão, agilidade e durabilidade, por exemplo.

Antes de destacar os principais critérios a serem avaliados, vale reforçar a importância do oxímetro de pulso, para que serve e como pode ser usado.

O que é oxímetro de pulso?

Aparelho imprescindível nos ambientes hospitalares, o oxímetro de pulso, conhecido também como pulsioxímetro, é um aparelho que mede a quantidade de oxigênio transportado pelo sangue, monitora a frequência cardíaca, variações respiratórias, intensidade do pulso, entre outras funções. Tudo isso sem a necessidade de punção com agulha.

O nível de oxigênio, ou a saturação de oxigênio (SPO2), medido em um oxímetro de pulso possibilita a comparação de oxigênio transportado com o máximo da sua capacidade de transporte. Portanto, esse aparelho possibilita a medição de forma indolor e fácil como o oxigênio está sendo enviado para as partes do corpo mais afastadas do coração, a exemplo de pernas e braços.

Trata-se de um aparelho que detecta a cor do sangue através de um sensor, semelhante a uma pinça, que pode ser colocado em qualquer dedo. O sensor utiliza um faixa de luz que identifica a cor do sangue e analisa a quantidade de oxigênio presente.

Ao liberar o oxigênio o sangue fica azulado. Quanto maior for à intensidade da cor, maior a presença de oxigênio.

E o sensor envia a informação coletada para a tela para que os profissionais de saúde possam analisar e decidir se o paciente necessita ou não de oxigênio extra ou de outros cuidados e procedimentos.

Por conta disso, esse aparelho é indispensável para monitorização e avaliação de pessoas que tenham ou estejam apresentando alguma comorbidade.

Situações que exigem a utilização de um oxímetro de pulso

Conforme explicado, o oxímetro mede a quantidade de oxigênio no sangue e por isso é capaz de contribuir para o controle de fibrose pulmonar, doenças respiratórias e outros tipos de deficiências e complicações cardíacas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os níveis de oxigenação no sangue variam entre 95 e 100% em uma pessoa saudável, apesar de que, durante exercícios físicos intensos esses níveis ficam mais baixos.

Por meio dessa informação é possível detectar algum problema, como a formação de uma condição respiratória grave, por exemplo, que exija um ventilador pulmonar, somente com o uso de um oxímetro de pulso. Além de praticantes de esportes, esse aparelho é usado por pessoas que costumam ir a lugares muito altos, onde o oxigênio é escasso, por profissionais de saúde ao realizarem diagnósticos de suspeitas de problemas cardíacos, que podem indicar a necessidade da utilização de um desfibrilador por exemplo, e para acompanhamento dos níveis de oxigênio de uma pessoa que passou e passa por uma cirurgia.

Níveis baixos de oxigênio no sangue, por exemplo, podem provocar sintomas como tontura, falta de ar, dor de cabeça, pressão alta, confusão, distúrbios visuais, aumento dos batimentos cardíacos (taquicardia), falta de coordenação, dor no peito, respiração rápida, sensação de euforia, ou seja, sensações que podem se agravar e causar uma série de outros problemas. E também são sintomas que podem indicar outros problemas de saúde, como um AVC, ou um infarto, entre outros quadros.

Assim, o oxímetro de pulso é um aparelho que não pode faltar em ambientes hospitalares, visto que consegue identificar possíveis comorbidades graves e, dessa forma, possibilitar a adoção mais rápida de um tratamento adequado, evitando consequências mais sérias que podem até mesmo levar à morte.

Como usar o oxímetro de pulso da forma correta?

Profissionais da área de saúde sabem para que serve e a importância do oxímetro de pulso. Ele pode ser utilizado de maneira simples, mas deve-se realizá-lo da maneira adequada para que seja possível detectar o nível correto da oxigenação do sangue e evitar uma interpretação errônea do resultado. Para isso, algumas dicas são necessárias.

Primeiro o sensor deve ser limpo com algodão ou um tecido liso e leve. As unhas precisam estar limpas e, se possível, sem esmalte para que o aparelho não apresente interpretações incorretas. E oi sensor também não deve ser exposto à luz antes da leitura do resultado. É importante checar também se as mãos do paciente estão muito frias e, caso estejam, esfregar até que chegue a temperatura corporal adequada.

Após todos esses cuidados, deve-se colocar o aparelho no dedo, esperar alguns segundos e obter a leitura da oxigenação do sangue. Simples, não é?

Mas atenção: antes de adquirir um oxímetro de pulso alguns critérios devem ser analisados para que você possa ter um aparelho de qualidade e que, de fato, vai proporcionar todos os benefícios citados neste artigo.

Dicas para escolher um oxímetro de pulso

Ao decidir comprar um oxímetro de pulso, é importante se atentar para alguns parâmetros que te ajudarão na escolha mais adequada. Confira abaixo cinco dicas:

1 – Tão importante quanto às outras características, é o tamanho.

Opte por um aparelho que seja adaptável a diversas situações e ambientes, incluindo as emergenciais ou de transporte.

2 – Outro aspecto de suma relevância diz respeito à precisão.

Escolha modelos modernos que ofereçam alto grau de confiabilidade. Veja se o oxímetro de pulso possui pelo menos velocidades de varredura de 12,5mm/s, 25 mm/s e 50 mm/s, resolução de pulso de 1 bpm e precisão de pulso de +/-3 bpm; características que darão um resultado preciso na aferição;

3 – Além disso, vale atentar para a facilidade de acesso aos conectores.

Os melhores modelos possuem alça integrada, que também pode ser utilizada como suporte para maca, e são ideais para monitorização tanto no leito quanto no transporte, caso haja necessidade;

4 – Outra característica de grande importância é a bateria.

Escolha o aparelho capaz de funcionar independente da energia por longos períodos, acima de uma hora completa em contínuo, por exemplo.

5- Facilidade, usabilidade e adaptabilidade

Atente-se também para a facilidade de manuseio da interface do oxímetro de pulso, com monitor multiparamétrico e se possui por exemplo possibilite de uso via touch screeen, entre outas facilidades. Além de conferir sobre e adaptabilidade de uso tanto para pacientes adultos, como infantil e neonatal.  E além disso, confira se ele possui alta robustez e durabilidade.

O aparelho que atender a todas essas características é perfeito para proporcionar os resultados adequados e ajudar na identificação de possíveis problemas de saúde.

 

Quer saber mais sobre o oxímetro de pulso?

Tirar dúvidas sobre as suas funções, utilização e qual a marca ideal para atender às suas necessidades? Conheça as especificidades do oxímetro de pulso Noah da CMOS DRAKE ou entre em contato com um dos nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog