Monitor de sinais vitais: saiba como escolher e comprar a melhor opção

Monitor de sinais vitais: saiba como escolher e comprar a melhor opção

Quando falamos dos equipamentos essenciais para o funcionamento de um hospital, seja uma clínica médica que realiza cirurgias ou Centro de Tratamento Intensivo (CTI), o monitor de sinais vitais está no topo da lista.

Também conhecido como monitor multiparamétrico, trata-se de um equipamento que será utilizado para fazer a verificação das condições de saúde da pessoa examinada. Isso acontece em tempo real e é uma maneira da equipe médica compreender a evolução ou piora do estado do paciente.

Neste caso, alguns parâmetros são avaliados pela equipe médica. São acompanhados os batimentos cardíacos, pressão arterial, assim como outros sinais vitais. Através destes índices, o atendimento pode ser otimizado e algumas alterações podem ser identificadas mais rapidamente.

 

A importância do monitor de sinais vitais

Como já citado acima, o monitor multiparamétrico é fundamental para compreender a situação atual do paciente e identificar possíveis problemas. Este equipamento pode ser usado em pacientes adultos, pediátricos assim como neonatal. Além disso, o mesmo tipo de monitor pode ser usado também para o atendimento veterinário. O monitor de sinais vitais é obrigatório em algumas áreas, como:

  • Ambulatórios;
  • salas de recuperação pós-cirúrgica;
  • unidades de terapia intensiva (UTI) ou semi-intensiva;
  • setores de emergência (pronto-socorro e clínicas);
  • ambulâncias, principalmente UTIs móveis;
  • centros cirúrgicos, dentro outros.

Trata-se de uma das tecnologias médicas mais importantes e essenciais em um ambiente médico/hospitalar. E diante dessa importância, os critérios para escolher o equipamento deve ser proporcional.

 

Como escolher o melhor monitor de sinais vitais

Agora que já percebemos a importância da escolha do monitor multiparamétrico, chegou o momento de entender os principais pontos para escolher e comprar um bom equipamento.

 

1 – Monitoramento centralizado e ágil

Este é o principal ponto que deve ser analisado quando falamos de locais que exigem equipamentos móveis. Seja um hospital com uma grande quantidade de leitos ou um CTI, a complexidade no acompanhamento do estado dos pacientes aumenta quando há muitos leitos. Você deve saber se é possível o monitoramento de diversos leitos de forma rápida e centralizada.

Com esse tipo de equipamento há uma otimização do trabalho dos técnicos, que acompanham estes resultados. Neste caso, se torna mais eficiente e ágil, trazendo as informações em menos tempo. Além disso, os dados ficam armazenados na rede, permitindo o acesso, a disponibilização e armazenamento dos dados. Isso, em casos mais graves, pode fazer com que o gestor da equipe mobilize mais pessoas para tratar daquele caso e otimizar o trabalho como um todo.

Essa reunião das informações acontece através de uma central de monitorização, um software capaz de captar e exibir em um único sistema as informações de diversos monitores de sinais vitais alertando sobre a evolução ou a necessidade de cuidados específicos. Por isso, é essencial escolher monitores que tenham facilidade de se conectarem com a rede através de centrais de monitorização que utilizem principalmente o protocolo padrão de comunicação desse tipo de sistema que é o protocolo HL7.

 

2 – Configuração modular

De uma forma geral, o monitor de sinais vitais já tem uma configuração de fábrica para realizar a monitorização de diversos parâmetros. Estamos falando sobre a atividade cardíaca (ECG), saturação do oxigênio (SPO2), respiração, temperatura e outras especificações que podem variar de acordo com cada fabricante.

Mas vale ressaltar que o monitor pode ainda ser personalizado, ou seja, é permitido a inclusão de outros parâmetros de monitoramento de sinais vitais. Entre as mais comuns estão a pressão invasiva (PI), impressora térmica, capnografia, análise de gases e outros que podem ser necessários no seu hospital. E se esses parâmetros puderem ser adicionados e retirados de forma prática e rápido encaixe, você tem um ganho em termo de agilidade e dinamismo de configuração dos monitores. Além disso, para fazer upgrades, nos modelos modulares, não é preciso enviar o monitor para a assistência técnica.

Confira aqui a diferença entre um monitor pré-configurado e modular

 

3 – Armazenamento e processamento de dados

O monitor de sinais vitais é um equipamento que realiza a coleta de dados e gera tendências gráficas para serem lidas e analisadas com agilidade pelo profissional de um hospital ou clínica e transmitidos em rede para a central de monitorização.

A alta performance de um monitor multiparamétrico para uma unidade hospitalar só é possível se o equipamento tiver uma memória potente para fazer o armazenamento de dados sobre os variados dados do paciente ao longo de um dia. Escolha modelos que exibam acima de 90h de gráfico de tendência. Esse recurso auxilia muito na comparação analítica do quadro de evolução do paciente.

O processamento de dados monitorados deve proporcionar a máxima precisão de informações para que o médico responsável tenha segurança para intervir no estado de saúde do paciente, se necessário.

 

4 – Usabilidade

Agora chegou o momento de pensar no dia a dia e como o equipamento vai ajudar na tomada de decisão dos profissionais. Quais gráficos, imagens e textos o equipamento apresenta? Há a opção de usar touchscreen? É possível manipular por ferramentas auxiliares, como teclado e mouse que agilizam a inserção de dados e configuração por exemplo?
Quais são os sinais de alerta emitidos e como isso é feito? Essas são algumas perguntas que você deve fazer ao pesquisar monitor multiparamétrico para seu hospital.

Analise a inteligibilidade, a operacionalidade, a apreensibilidade e a atratividade do equipamento. São esses pontos que caracterizam a usabilidade de tecnologias e que podem resultar em mais eficiência, produtividade e segurança na ação médica.

 

5 – Portabilidade

A característica de ter maior portabilidade do monitor de sinais vitais é um critério pouco mencionado na hora da aquisição, mas muito significativo. Equipamentos de monitorização multiparamétricos devem ter baixo peso e ainda contar com acessórios para fazer o transporte, como alça integrada por exemplo. Além de ter design ergonômico, robusto e resistente para uso em ambientes adversos.

 

Ao longo deste artigo você pode compreender a importância de escolher bem o seu monitor multiparamétrico. Afinal isso impacta diretamente na performance da sua equipe para os cuidados com os pacientes. Lembre-se que se trata de um equipamento necessário e de suma importância em muitas situações. Analise os critérios indicados e, para não errar na hora da escolha, procure também saber sobre a tradição do fabricante e tecnologias utilizadas assim como consultar como será o atendimento e suporte técnico para a compra.

 

Se você interessou por um monitor, procure uma empresa com credibilidade no mercado. Entre em contato com a nossa equipe e saiba mais como obter a melhor tecnologia em monitorização de sinais vitais para seus pacientes. Somos a CMOS DRAKE, fabricante com tecnologia e tradição de mais de 32 anos de mercado.

Os nossos especialistas vão indicar os melhores equipamentos para a sua empresa ter o máximo de credibilidade e performance no dia a dia.

Aproveite e confira aqui todos os detalhes dos monitores multiparamétricos modulares da CMOS Drake.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog