Monitor de Sinais Vitais: conheça todos os parâmetros que você pode adicionar

O acompanhamento dos parâmetros de monitores é um dos trabalhos mais importantes durante a rotina de clínicas e hospitais. Afinal, só assim o cuidado com a saúde e um atendimento de qualidade poderão ser garantidos.

Desse modo, é dever dos gestores acompanhar o desempenho desses monitores para que haja um serviço eficaz e que assegure que os aparelhos estejam de acordo com os objetivos da operação médica.

Portanto, nesse artigo você conhecerá sobre todos os parâmetros que poderão ser adicionados no monitor de sinais vitais, além do que será essencial na hora de escolher um dispositivo.

Então, siga com a gente e venha entender tudo sobre o que envolve esse equipamento!

Compreendendo a utilidade dos monitores de sinais vitais

Entre os diversos modelos existentes no mercado, os monitores básicos, também chamados modelos de série, são aqueles que coletam dados gerais dos sinais vitais e da situação geral dos pacientes. Já os modelos mais avançados possuem parâmetros mais específicos e pode ainda, além de coletarem essas informações, direcionarem tratamentos específicos.

Um bom exemplo desses parâmetros avançados são os débitos cardíacos e as capnografias. Esses parâmetros possibilitam um diagnóstico e uma conduta terapêutica mais assertiva em casos graves graças à aquisição de informações complexas e precisas sobre o estado atual e evolução do paciente.

Os parâmetros dos monitores de sinais vitais

Os parâmetros, também chamados de módulos, são inseridos em caixas instaladas dentro do monitor, onde o processo de leitura ocorre por via da transmissão dos dados na tela que são captados por algum tipo de sensor ou cabo de conexão ao paciente. Existem inclusive no mercado monitores multiparamétricos do tipo modular, nos quais os módulos podem ser intercambiáveis entre si e entre outros monitores.

Veja  vídeo e entenda a diferença entre um monitor pré-configurado e modular

Veja a seguir os 5 parâmetros principais que normalmente já vem inclusos em um monitor de sinais vitais:

  • Respiração;
  • Eletrocardiograma;
  • Pressão não invasiva (PNI);
  • Temperatura;
  • Saturação de oxigênio no sangue (SPO2).

Além desses 5 principais, há diversos outros parâmetros que pretendem atender todos os casos possíveis, não importando a sua complexidade ou gravidade. Veja a seguir alguns desses parâmetros específicos que podem ser adicionados em um monitor mutiparamétrico:

  • Nível de consciência;
  • Range de Pulso;
  • Débito cardíaco;
  • Pressão invasiva;
  • Gases anestésicos;
  • Capnografia (concentração de dióxido de carbono);
  • Eletroencefalograma (EEG)
  • Índice de sedação anestésica (ISA)
    entre outros.

Os principais tipos de monitores

Veja a seguir os principais tipos de monitores existentes no mercado:

1- Monitores pré-configurados

Esse tipo de monitor geralmente vem de fábrica com todos os 5 parâmetros principais citados anteriormente inclusos no equipamento. Geralmente eles são leves e compactos e possuem também um custo menos elevado. Porém, caso você precise inserir, realizar upgrades ou trocas de parâmetros, além do custo dessa alteração ou inclusão ser maior, você ainda precisa enviar o equipamento para a assistência técnica ou fábrica de origem e depende de diversos procedimentos.

Eles são bastante utilizados em centros de UTI ou consultórios que não exigem um monitoramento rigoroso de diversos parâmetros, sendo o objetivo principal o acompanhamento da estabilidade do paciente e dos parâmetros mais básicos e essenciais.

2- Monitores modulares

Os monitores modulares possuem a facilidade de inclusão simples e rápida de parâmetros mais complexos. Eles já possuem também os parâmetros básicos e essenciais de fábrica; porém, para inserir novos parâmetros basta encaixar os módulos de engate rápido. Tudo isso sem a necessidade de configurações ou técnicos especializados. A grande vantagem é que é possível encaixar e desencaixar e trocar entre os monitores de acordo com a necessidade do cti e do caso que esteja ocorrendo no momento.

Com monitores multiparâmetros modulares você tem um ganho a longo prazo, com mais facilidade e flexibilidade. Esse tipo de monitor é muito utilizado em hospitais e centros de saúde que necessitam de uma supervisão mais específica e que tenham diversos leitos e diferentes níveis de complexidade de pacientes. Por exemplo centros cirúrgicos, que precisam de um acompanhamento de parâmetro mais avançado por lidarem com tratamentos complexos.

Veja  vídeo e entenda a diferença entre um monitor pré-configurado e modular

Como escolher o melhor dispositivo para o seu estabelecimento?

Conhecer os tipos de monitores e parâmetros é de extrema importância na hora de uma compra. Dessa maneira, é necessário que você se atente a alguns pontos quando for escolher o equipamento ideal para o seu estabelecimento. Confira:

1- Atente-se ao nível de complexidade do ambiente médico

Para que você faça a escolha certa é essencial que tenha noção do nível de complexidade do ambiente hospitalar em que o dispositivo será instalado.

Por exemplo, no caso de uma UTI cardíaca, provavelmente você vai precisar adquirir um monitor que possua também os parâmetros de débito cardíaco e pressão invasiva por exemplo. Além disso, é preciso verificar a quantidade de leitos e saber até que ponto os profissionais de saúde dominam o uso de determinado monitor. Por exemplo, existe uma norma que diz que a cada 5 leitos de CTI, deve-se haver disponível ao mesmo um monitor com Capnografia. Por isso é importante checar as exigências de cada ambiente para solicitar a inclusão dos parâmetros necessários.

2- Preze pela qualidade dos monitores

Para que se saiba definir a qualidade dos fornecedores de monitores é necessário que seja feita uma análise precisa dos produtos no período de pós-venda. Ao avaliar determinadas características, bem como a realização contínua da manutenção, será possível determinar a reputação de uma marca.

Por isso, o nível de qualidade de um produto deve ser estudado com cautela e precisão. Nenhum estabelecimento quer arriscar a vida de seus pacientes utilizando aparelhos de má qualidade, colocando em risco não só as vidas humanas, como a credibilidade de todo o centro médico.

3- Analise as características técnicas

Além disso, há diversos outros fatores que devem ser levados em consideração na hora de se comprar um monitor de sinais vitais. Confira alguns deles:

  • Design;
  • Facilidade de transporte;
  • Qualidade da conectividade;
  • Nível de voltagem;
  • Possibilidade de adicionar novos parâmetros de monitorização;
  • Ruídos que podem vir da estrutura interna do aparelho;
  • Qualidade dos itens inclusos (cabo de alimentação, cabo para ECG, manguito, etc.);
  • Duração da bateria;
  • Armazenamento de dados;
  • Avaliação da precisão das medições (geração de relatórios e alertas);
  • Entender como funciona o modo de operação (se utiliza touch screen, teclado, mouse, etc.);
  • Resolução de imagem e o tamanho da tela;
  • Possibilidades de upgrades e modificação nos parâmetros;
  • Curva de aprendizagem do manuseio;
  • Facilidade na personalização das configurações;
  • Há possibilidade de novos itens serem adicionados (impressora térmica, débito cardíaco, análise de gases, etc.).

Para entender mais sobre o assunto, acesse nosso artigo exclusivo com o ckecklist dos 5 fatores que você deve analisar antes de comprar um monitor de sinais vitais 

Como apresentamos nesse artigo, os parâmetros dos monitores multiparâmetros são responsáveis para direcionarem os mais diversos tipos de tratamentos. Por esse motivo, conhecer a complexidade que envolve essa área é de suma importância para que o aparelho ideal seja escolhido.

Quanto mais complexo for o ambiente hospitalar, mais sofisticado deverá ser o monitor. Só assim uma conduta clínica poderá ser direcionada com precisão e eficácia.

Pensando nisso, a CMOS DRAKE possui tanto modelos de monitores pré-configurados, como modelos modulares e de diferentes tamanhos (de 12 a 17″). Oferecendo tecnologia, qualidade e um excelente custo-benefício. São diversos modelos que atenderão desde os ambientes mais simples até os que necessitam de operações avançadas.

E então, gostou de conhecer mais sobre os parâmetros que englobam um monitor de sinais vitais? Que tal aproveitar para ler outros artigos em nosso blog? E, caso você interesse por um dos nossos produtos, não deixe de contatar os nossos especialistas.

Aproveite também para conhecer todos os detalhes dos monitores multiparamétricos modulares da CMOS Drake.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog