Por que o DEA vai atrair mais clientes para a sua academia?

atrair mais clientes para academia

As academias de ginástica estão em alta e, por isso, necessitam de uma gestão cuidadosa que envolva vários aspectos para superar a concorrência. Não basta equipá-las com os mais modernos aparelhos, você já sabe que outros fatores contam bastante para que um aluno escolha o seu negócio. Mas como atrair clientes para sua academia sem que apenas o visual faça a diferença?

Simples: você deve priorizar outros fatores que não se limitem à aparência. É claro que aparência também faz diferença — afinal quem não gosta de uma academia bem aparelhada, não é mesmo? Só que outros aspectos contam também, como o cuidado do local com a saúde e segurança do aluno.

Neste post, você vai saber como tornar sua academia mais atrativa aos olhos do aluno que, além da atividade física, busca um diferencial que o fará optar pela sua. Continue a leitura e confira!

Como atrair clientes para sua academia?

Quando o aluno vai até uma academia para obter informações sobre o local, além do atendente mostrar a academia, ele vai informar o que ela oferece, como aparelhagem, as opções de atividades coletivas — entre outros detalhes referentes às aulas.

Ele vai mostrar as dependências e os cuidados preventivos, por exemplo, se o local conta com materiais de primeiros socorros e alguém responsável para lidar com situações emergenciais. Isto realmente impressiona o aluno e o deixa mais seguro para frequentar as aulas.

Atualmente, existe um público variado nas academias de ginástica. A terceira idade é cada vez mais frequente nesses locais, buscando mais saúde, bem-estar e longevidade. É muito importante que esse público saiba os cuidados da academia em casos de emergência, que podem ocorrer eventualmente nesses locais. E esteja certo, enquanto muitos jovens podem não se atentar aos detalhes de segurança, mas uma pessoa mais velha certamente se atentará.

Exemplos de casos emergenciais em saúde são: a pressão que pode subir inesperadamente, paradas cardiorrespiratórias decorrentes de arritmia, hipoglicemia e desmaio por causa de dietas, traumas causados por quedas de anilhas e várias outras ocorrências comuns nesses locais.

Veja o caso deste homem que sofreu parada cardíaca em uma academia, na cidade de Rio Preto.

Contudo, vale ressaltar que, independentemente da idade, as emergências podem ocorrer em qualquer faixa etária. Dessa forma, ter um kit de primeiros socorros e aparelhagens que protejam os alunos é indispensável. Essa atitude demonstra a preocupação do local com a segurança de quem frequenta sua academia.

Quais os Itens de primeiros socorros as academias devem disponibilizar?

Preparar-se para eventuais emergências é essencial para segurança de todos em uma academia de ginástica, bem como medidas preventivas para evitar acidentes. Por isso, é imprescindível ter um disponibilizar alguns itens para que se possa agir com rapidez.

Confira o KIT de Primeiros Socorros com o que não deve faltar na sua academia que poderá ajudar a atrair mais clientes para ela:

  • termômetro, pinça e tesoura;
  • embalagens de compressas ou gazes esterilizadas — em tamanhos grande, médio e pequeno;
  • curativos esterilizados — em tamanhos grande, médio e pequeno;
  • curativos adesivos;
  • algodão, rolo de fita adesiva e ataduras;
  • soro fisiológico e 1 frasco de Iodopovidona;
  • luvas descartáveis;
  • medicamentos, como antitérmicos, analgésicos, anti-inflamatórios, além de remédios para alergia, indigestão, náusea, além de pomada para queimaduras e picada de insetos;
  • aparelhos para aferir pressão arterial;
  • DEA – Desfibrilador Externo Automático.

Ter um Desfibrilador Externo Automático (DEA) para atendimento emergencial em caso de complicações cardíacas dos alunos, colaboradores e frequentadores é de extrema importância. Esse equipamento permite salvar vidas que são perdidas por falta de atendimento imediato.

Confira no vídeo abaixo um exemplo de sucesso de uma vida que foi salva pela utilização do DEA dentro da academia.

Isso ocorre porque o tempo é fator decisivo nesses casos. Até que chegue o atendimento médico diante de uma parada cardiorrespiratória, por exemplo, pode ser tarde. Além de manter esse aparato, também é importante também que se mantenha na academia um profissional treinado para um atendimento mais eficaz nesses casos de primeiros socorros e complicações cardíacas.

Vale lembrar, que tudo deve estar dentro da validade e os equipamentos sempre funcionando em perfeito estado. Veja abaixo algumas das academias que já contam com o DEA e cuidam da segurança e saúde dos seus clientes.

O que são os Desfibriladores Externos Automáticos?

Os desfibriladores externos automáticos são equipamentos que identificam alterações do ritmo cardíaco. Isso ocorre por meio de pás adesivas fixadas no tórax do paciente, liberando, dessa forma, uma corrente elétrica que reverte o ritmo do coração, afinal, se o problema não for corrigido a tempo pode causar sequelas e até a morte.

As principais causas de paradas cardiorrespiratórias são as arritmias cardíacas, muitas vezes desconhecidas pela própria pessoa. Mas também podem ocorrer devido a esforço excessivo, remédios administrados indevidamente, a um choque ou pancada forte, asfixia, afogamento, entre outros fatores e situações que podem ocorrer dentro da sua academia.

O que diz a lei sobre obrigatoriedade dos DEA em determinados locais?

Em outubro de 2004, o jogador de futebol Serginho veio a óbito após uma parada cardíaca durante uma partida pelo Campeonato Brasileiro. Após esse fato, alguns estados do Brasil regulamentaram o uso do desfibrilador em ambientes com grande aglomeração de pessoas. Por exemplo, em São Paulo a lei nº 13.945 obriga os locais frequentados diariamente por mais de 1500 pessoas a terem um DEA em suas dependências.

Uma outra lei estadual de Pernambuco, de nº 16.124, obriga as academias de ginástica e outros estabelecimentos afins a disponibilizar para os frequentadores kits de primeiros socorros para situações de emergência que ocorrem nesses locais.

Ou uma lei de Belo Horizonte que obriga a presença do equipamento em todos os clubes por exemplo. Entre muitas outras inúmeras lei municipais e estaduais. Além da lei federal sobre o Desfibrilador.

De acordo com a lei, os itens obrigatórios são: aparelho digital para aferir a pressão arterial, curativos, fita microporosa, atadura elástica, bolsa térmica de gel ‘quente-fria’ reutilizável, algodão, hastes de algodão flexíveis, um termômetro, além de um par de luvas de látex descartáveis.

Dentre os medicamentos, devem constar uma caixa de comprimidos de paracetamol 500 miligramas, uma caixa de comprimidos de ácido acetilsalicílico 500 miligramas, uma caixa de anti-histamínico (medicamento para alergia), um frasco de água oxigenada 10% e um antidiarreico.

Mas, mesmo não sendo obrigatório, colecionamos exemplos de profissionais e gestores que têm essa consciência em suas academias. Eduardo, da Academia Figueiredo de Campinas, em São Paulo, é uma prova disso.

Eduardo, da Academia Figueiredo de Campinas, em São Paulo“Aqui na Academia Figueiredo, todos os anos, realizamos treinamento de segurança e primeiros socorros para professores e funcionários, com a presença de bombeiros socorristas e médicos.

Nós nos preocupamos com a saúde e segurança dos alunos em primeiro lugar. No treinamento, esses profissionais nos orientaram sobre a importância de termos um DEA, a maca e todos os materiais de primeiros socorros para garantir a segurança de nossos alunos. Portanto adquirimos os itens e o DEA para nossa unidade. É importante divulgar a necessidade desses equipamentos nas academias. Os estabelecimentos aqui minha região em geral ainda não possuem um DEA; e os órgãos responsáveis, como o CREF ou a prefeitura por exemplo, não cobram a existência desse tipo de material de segurança nas academias. E isso é muito importante, afinal as academia cada vez mais têm alunos de idade mais avançada e garantir a segurança deles é essencial e também responsabilidade dos professores e donos das academias”, afirma Eduardo.

Quem deve utilizar os desfibriladores?

O DEA foi desenvolvido para atender a vítimas de mal súbito, que estejam aparentemente sofrendo uma parada cardíaca, infarto ou quadro de arritmia cardíaca maligna. Ele pode ser operado por leigos, pois o equipamento é que faz a análise, através de inteligência artificial, e dá o diagnóstico da necessidade do tratamento, bem como o realiza, se for identificada a necessidade.

O uso do desfibrilador, nesses casos, evita a espera pelo atendimento médico que pode demorar e piorar o estado do paciente. O desfibrilador faz um atendimento precoce de ressuscitação, colocando os batimentos cardíacos no compasso.

O treinamento para o uso desse equipamento é simples e o próprio local que comercializa disponibiliza cursos para a utilização adequada.

Agora você já sabe como atrair clientes para sua academia através desse grande diferencial e segurança, não é mesmo? O público que frequenta academias de ginástica se preocupa bastante com seu bem-estar, conforto e, principalmente, segurança. Adquirir um DEA só vai agregar valor nas avaliações do aluno em relação ao seu negócio, além de trazer mais tranquilidade e segurança para você e para todos.

Invista com a certeza de estar fazendo a coisa certa e adquira um DEA para sua academia, tornando-a mais segura para seus alunos. Se antecipe, pois, em breve, o equipamento será obrigatório por lei em todas as academias do país, e você já terá saído na frente. Fale com um dos consultores da CMOS DRAKE que terá o maior prazer em atendê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog
Tudo o que você deve considerar na hora de comprar um desfibrilador DEA

Tudo o que você deve considerar na hora de comprar um desfibrilador DEA

Baixar agora
Todos os E-books