Saúde do colaborador: como prevenir acidentes e agir nas emergências

Saúde do colaborador

Trabalhar em prol da melhoria da saúde do colaborador e criar ações para prevenir acidentes é uma postura que toda empresa idônea deve ter. Afinal, os colaboradores estão ali se empenhando e dedicando-se à sua empresa e nada mais justo do que mantê-los em segurança, não é mesmo?

Para começar, deve-se pensar sempre em condutas mais severas quanto à segurança dos colaboradores. Seguir o que manda a lei já é um grande passo. Ou seja, implantar a CIPA, aparelhar-se de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) entre outros passos importantes e necessários para segurança de todos.

Neste artigo, vamos lhe dar algumas dicas determinantes para manter a saúde do colaborador e a proteção de sua vida, mantendo-o o mais seguro possível nos períodos em que estiver no trabalho. Continue a leitura e confira!

Você sabe o que é CIPA?

A CIPA, cujo significado é Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, além de promover a saúde, tem em vista a prevenção de acidentes e doenças no ambiente de trabalho. Trata-se de um grupo formado por colaboradores e representantes indicados pelo empregador.

Sua regulamentação é aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, por meio de uma norma regulamentadora NR5 pela Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978 e atualizada pela Portaria SIT n.º 247, de 12 de julho de 2011.

A CIPA tem como característica principal garantir condições laborais seguras para todos os colaboradores que trabalham direta ou indiretamente para a empresa. O que já é uma fator a mais de segurança garantido por lei para os funcionários de uma organização.

Quando é preciso fornecer EPI ao colaborador?

O uso dos EPIs ou Equipamentos de Proteção Individual é obrigatório dependendo do trabalho do colaborador. Ou seja, quando ele se expuser a um risco inerente à sua atividade. Todas as vezes que ele se expuser a determinado risco deverá usar o EPI adequado para sua proteção.

Quais são os EPIs mais conhecidos?

Óculos de segurança

Garantem a proteção ocular contra partículas, e qualquer outro produto químico que possa respingar no colaborador. Existem também os óculos, com lentes escuras, que protegem os olhos contra os raios solares.

Capacete

Trata-se de um EPI muito utilizado. Protege a cabeça, que é a área que mais precisa de proteção. Este EPI protege o crânio de impactos e choques elétricos. O seu uso é fundamental em diversas empresas, principalmente em obras, serviços de eletricidade e manutenção.

Botas de segurança

Sua função é proteger os pés de quedas de objetos, torções, picadas de insetos e perfurações. Geralmente é usada por pedreiros, técnicos, engenheiros, carregadores de peso, entre outras profissões.

Bota de PVC

Seu intuito principal é proteger os pés em dias de chuva. Agricultores e jardineiros são exemplos de profissionais que precisam usar este tipo de bota.

Luvas

Há no mercado diversos tipos de luvas e cada uma possui uma indicação de uso específica. Podemos citar as luvas de látex, luvas de kevlar (para perigos térmicos e de cortes), luvas de raspa (que protegem contra agentes escoriantes, abrasivos, materiais cortantes etc.)

Avental

Protege o corpo do trabalhador contra alguns tipos de partículas, como concreto, argamassa, tintas, entre outras. Em empresas cujo dia a dia se utiliza de produtos inflamáveis, os aventais e jalecos devem ser feito de material que não pega fogo.

Protetor auricular

Sua função é proteger os ouvidos contra ruídos de máquinas e equipamentos. Muito utilizado em indústrias de alimentos, embalagens e papel.

Como evitar acidentes de trabalho e manter a saúde do colaborador?

A melhor forma de garantir proteção no ambiente de trabalho e evitar episódios de acidentes laborais é investir em segurança do trabalho. A prevenção é, especialmente, uma ferramenta que age a fim de evitar problemas futuros. Seja qual for a profissão, todos devem ter como objetivo a segurança.

Confira algumas dicas úteis:

  • evitar se expor a riscos, como alguns acidentes que ocorrem muitas vezes por imprudência;

  • usar adequadamente os EPIs (fornecidos obrigatoriamente pela empresa);

  • manter-se bastante atento, pois qualquer trabalho deve ser realizado com plena consciência e atenção;

  • manter o local de trabalho organizado e devidamente limpo, para evitar escorregões e quedas, por exemplo;

  • sempre comunicar incidentes para que a solução não demore a aparecer;

  • confirmar se os riscos aparentes foram neutralizados, e, caso não esteja tudo ok, ou caso não se sinta protegido para realizar o trabalho, simplesmente não o faça. Comunicar essa situação é primordial;

  • evitar ao máximo aquelas distrações comuns em muitos ambientes de trabalho, como o uso de aparelhos eletrônicos, fones de ouvido e conversas paralelas, todos esses hábitos, certamente, tiram a atenção e afetam a segurança;

  • estar aberto a reclamações e feedbacks dos trabalhadores;

  • solicitar consultas periódicas para checar a saúde dos profissionais.

Sendo assim, cabe frisar que, quando um acidente ocorre, é porque a prevenção falhou, não é mesmo? E vale ressaltar, mais uma vez, que apenas o uso de EPIs não evita totalmente acidentes.

O que é necessário para agir em emergências

O cuidado com a saúde do colaborador não se restringe apenas à prevenção, mas também às medidas para atendê-lo com agilidade e segurança em caso de intercorrências, como quedas, sangramentos, paradas cardíacas etc.

Desfibrilador

O desfibrilador externo automático é essencial em uma empresa. Principalmente, em locais com muitos funcionários ou empresas localizadas em zonas de difícil acesso ou afastadas dos centros urbanos. O desfibrilador, do tipo DEA, é um aparelho automático projetado para ser manuseado por leigos treinados e é capaz de diagnosticar e tratar emergências cardíacas através da desfibrilação e orientação às compressões torácicas.

Se alguém passar mal, por exemplo, tiver uma parada cardiorrespiratória, o uso do equipamento é capaz de reverter a situação até que chegue uma equipe médica. É um aparelho que garante a segurança dos colaboradores e é capaz de salvar vidas.

Clique aqui e saiba em quais locais é obrigatória a presença do desfibrilador.

Kit Primeiros Socorros

Ter um kit de primeiros socorros em sua empresa independe do segmento e do porte do seu negócio, haja vista que acidentes durante a jornada de trabalho são imprevisíveis. Dessa forma, em caso de ocorrências que impactem na integridade física do colaborador, contar com um kit pode garantir cuidados imediatos até que um profissional capacitado controle a situação.

Mas fica aqui um importante alerta: é preciso capacitar funcionários para que eles saibam como agir e utilizar o kit de primeiros socorros. Fica ao critério da empresa treinar uma ou mais pessoas para manusear os instrumentos e materiais.  Além disso, é importante conferir constantemente o estado e a validade dos materiais.

Conclusão

A saúde do colaborador deve estar sempre em primeiro lugar. Uma gestão em grupo, que pense junto em prevenção e se discuta medidas para melhorá-la é sempre pertinente e válida.

Você gostou deste texto sobre prevenção de acidentes em ambiente de trabalho preservando a saúde do colaborador? Então, avance no assunto e baixe o nosso ebook sobre boas práticas de Segurança do Trabalho que não podem faltar em sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog
Tudo o que você deve considerar na hora de comprar um desfibrilador DEA

Tudo o que você deve considerar na hora de comprar um desfibrilador DEA

Baixar agora
Todos os E-books