Primeiros Socorros — Consequências De Não Realizar a RCP Corretamente

Admin2

10/05/2022

Primeiros Socorros: Consequências De Não Realizar a RCP Corretamente

A reanimação cardiopulmonar (RCP) é uma prática utilizada nos atendimentos de primeiros socorros. Ela é uma sequência de manobras e massagens cardíacas feitas em vítimas de parada cardíaca e tem como objetivo manter a circulação sanguínea do coração e outros órgãos vitais.

Com isso, é evitado que o acidente leve a pessoa a óbito antes da chegada do resgate. Porém, existem algumas consequências perigosas quando o procedimento não é realizado corretamente, por isso, é importante conhecer algumas ações que devem ser evitadas.

Quer saber mais sobre o assunto para conhecer as consequências de uma RCP feita de maneira errada e evitá-las? Continue a leitura!

Erros durante a realização da RCP em primeiros socorros e suas consequências 

Confira quais são os erros no processo de primeiros socorros para evitá-los e não gerar consequências da parada cardíaca para a vítima:

1. Demora para iniciar o procedimento de primeiros socorros

É importante que a RCP seja feita o mais rápido possível após o acidente. Afinal, quanto mais tempo demorar para o socorro acontecer, menores serão as chances de obter sucesso na reanimação.

2. Realização da RCP em quem não sofreu parada cardiorrespiratória 

A RCP é uma técnica realizada para a reanimação cardiopulmonar com o objetivo de reverter uma parada cardiorrespiratória (PCR). Portanto, é preciso certificar-se de que o coração da vítima está realmente parado. Afinal, é perigoso comprimir o peito de alguém que não está nessa situação, podendo causar efeitos negativos para a saúde, como uma fratura óssea.

3. Fazer RCP com posicionamento errado 

Para que a RCP, de fato, tenha efeito positivo, é preciso que a vítima esteja deitada em uma superfície plana e firme, deitada de barriga para cima. Caso contrário, o procedimento não terá o resultado desejado.

4. Não manter um ritmo 

A RCP deve ser realizada sem pausas até que a assistência médica chegue ao local do acidente para evitar que a pessoa vá a óbito. Além disso, o ritmo adequado de compressões do tórax é de cerca de 100 movimentos por minutos.

Por ser um procedimento cansativo, é recomendado que duas pessoas o realizem, fazendo revezamentos, justamente para evitar interrupções no procedimento por cansaço.

5. Realizar o mesmo procedimento em pessoas com idades diferentes

A RCP pode ser feita em pessoas de qualquer idade que estejam sofrendo uma parada cardiorrespiratória. Porém, existem algumas peculiaridades em cada fase para garantir sucesso:

  • RCP em adolescentes e adultos: deve ser feita com as duas mãos;
  • RCP em recém-nascidos, bebês e crianças: deve ser feita apenas com o uso dos dedos, de preferência o médio e o indicador.

É importante tomar esse cuidado para que os adultos recebam a força adequada para a RCP ter efeito mas também evitar que bebês e crianças acabem sendo machucados por excesso de força desnecessária.

Conheça o DEA da Cmos Drake 

Como você viu, é importante que a RCP seja feita corretamente durante os primeiros socorros da vítima para evitar consequências negativas. E para ajudar nessas situações, o Desfibrilador Externo Automático (DEA) da Cmos Drake é a solução ideal.

Ele conta com um sistema automatizado de feedback de RCP que informa aos socorristas se existe a necessidade de realizar a desfibrilação ou a massagem cardíaca. Além disso, ele envia orientações para que as compressões sejam feitas corretamente.

Ele é o desfibrilador externo automático pioneiro da América Latina e conta com um sistema que avalia a qualidade da compressão que está sendo realizada e dá ao socorrista informações sobre a frequência e profundidade adequada para garantir que o paciente sobreviva. 

Muito prático, não é mesmo? Quer obter mais informações sobre esse equipamento? Então confira este material exclusivo e gratuito para saber tudo sobre o DEA!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar para o Blog