Apneia do sono é sinal de alerta para problemas cardíacos

cmosdrake

30/03/2022

apneia do sono e sua relação com problemas cardíacos

O que muitas pessoas tratam apenas como um ronco incômodo pode ser, na verdade, a porta de entrada para o risco de um grande pesadelo para a saúde. Existem diferentes razões para explicar o efeito sonoro provocado durante o repouso, mas quando o motivo é a apneia obstrutiva do sono (AOS), o quadro pode se agravar para doenças letais, como AVC e o infarto.

 

E o alerta serve para grande parte dos brasileiros. Estima-se que um terço da população sofra de apneia, mas que a mínima parcela desses brasileiros saiba que possui o problema. O distúrbio é uma pequena parada respiratória, geralmente com duração de alguns segundos. Essa parada ocorre devido à obstrução das vias aéreas, interferindo também nos comandos do cérebro que controlam a respiração.

 

“O comprometimento respiratório tem efeito direto no trabalho do coração, que funciona como uma bomba que leva oxigênio e nutrientes por todo o corpo através do sangue. Por isso, é comum ver quadros de hipertensão, diabetes, AVC e parada cardiorrespiratória em pessoas que têm apneia do sono não tratada por um período prolongado”, explica Letícia Rodrigues, fisioterapeuta especialista de produtos da Cmos Drake, empresa fabricante de equipamentos médicos há mais de 30 anos.

 

Outro efeito devastador da apneia é a própria qualidade do sono. A fisioterapeuta esclarece que a saúde do sono exige que o repouso seja feito sem intervalos fragmentados, e com um tempo mínimo de duração para garantir o relaxamento. “Se uma pessoa não consegue alcançar um nível satisfatório de descanso, terá consequências no decorrer do dia, e ao longo do tempo poderá sofrer uma estafa que é ainda mais prejudicial à saúde”, orienta.

 

E, como apontado, nos casos mais graves, a privação de um sono com qualidade pode chegar a provocar doenças cardiovasculares e até mesmo depressão e diabetes. Além disso, é possível ocorrer perda de memória, dores no corpo, sonolência, irritabilidade, raciocínio lento e dificuldade de concentração.

 

Ar pressurizado

 

A boa notícia é que existem tratamentos eficazes para a apneia, que ajudam a conter as paradas respiratórias que afetam diretamente o coração. O principal deles é o CPAP, um aparelho que abastece o pulmão com ar pressurizado, utilizando um tubo e uma máscara que devem ser usados durante o repouso. O equipamento evita o ronco e melhora a qualidade do sono, impactando também na saúde do coração e do corpo como um todo.

 

Mas Letícia Rodrigues adverte para a importância de que a pessoa que sofre de apneia do sono, ou que ronca e/ou desconfia sobre o problema, recorra o quanto antes a ajuda profissional. “A partir de então o paciente irá realizar exames que dão o diagnóstico preciso do nível de apneia para que o profissional possa indicar o melhor tratamento. E o papel do fisioterapeuta nesse processo está no auxílio da escolha do melhor modelo e na adaptação do CPAP, para que tenha os melhores efeitos durante o sono”, informa a profissional da Cmos Drake.

 

Paralelamente ao tratamento da apneia, é importante manter certos hábitos que favoreçam a saúde do sono. Manter o quarto escuro e silencioso, evitar as telas pelo menos uma hora antes de dormir, manter uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis também podem ajudar a melhorar o repouso e, consequentemente, o coração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar para o Blog