5 dicas para escolher um monitor multiparâmetro para hospital e clínica

monitor multiparâmetro para hospital

Definitivamente, saúde, qualidade e tecnologia devem andar juntas. Por isso, unidades médicas, sejam elas hospitais, clínicas, laboratórios e até serviços de home care, devem contar com tecnologias que se adaptem à realidade de acuidade de cada paciente. 

Ambientes de cuidados precisam se preparar para atender pacientes em eventos adversos. Isso é possível com equipamentos especializados, de fácil manuseio, flexíveis e com versão portátil. Esses equipamentos também devem possuir capacidade de armazenamento de dados para registrar histórico de condições de saúde e dar alertas de irregularidades na saúde do atendido.

Um exemplo desse tipo de equipamento é o monitor de sinais vitais, tecnologia essencial para o socorro e monitoramento de um paciente e na manutenção dos requisitos clínicos. E é sobre ele que iremos nos ater neste artigo. Saiba como escolher essa tecnologia tão importante para seu hospital ou clínica.

Por que ter cuidado ao escolher um monitor multiparâmetro 

O monitor multiparâmetro pode ser utilizado tanto em ambiente de urgência, pré e pós-operatória de hospitais e clínicas, bem como unidades de resgate, remoção e transporte. Ele é uma das tecnologias mais importantes dentro do ambiente médico. Tudo porque oferece suporte e manutenção à vida do paciente, como também por oportunizar dados para ação preditiva do médico.

O monitor multiparâmetro se torna um aliado no diagnóstico preciso e em tempo real, a fim de evitar danos à saúde do paciente ao alertar caso de alterações bruscas em seu quadro clínico e intervenções mais invasivas, ou ainda otimizar o tempo do médico na assistência clínica.

Diante de tamanha importância do monitor de sinais vitais, é preciso lançar mão de critérios acertados para a aquisição de uma tecnologia médica avançada.

Como acertar na escolha de um monitor multiparâmetro

O monitor multiparâmetro é um equipamento clínico-hospitalar desenvolvido para monitorar sinais vitais de pacientes. Ele é bastante usado em cuidados intensivos, assim como em unidades de urgência. 

É comum que o equipamento forneça informações primordiais para a saúde do paciente, tais como frequência cardíaca e respiratória, pressão arterial, temperatura corporal e saturação de oxigênio. São esses dados que permitirão médicos e enfermeiros terem mais controle sobre o estado do paciente e intervirem quando houver alterações significativas, informações que são sinalizadas pelo monitor por alarmes e informações na tela.

Por isso, ao escolher um monitor multiparâmetro para hospital e clínica, é importante identificar outros diferenciais, como os principais a seguir:

1. Monitoramento remoto

Suponhamos a seguinte situação: seu hospital possui 64 leitos ocupados e você possui apenas 5 técnicos de plantão. Eles precisam ir de leito em leito verificar os sinais vitais dos pacientes que podem se alterar constantemente. E, quanto maior o número de leitos ocupados, maior a complexidade no acompanhamento do estado de saúde dos pacientes.

Com o monitoramento remoto e centralizado, através de uma central de monitorização, o trabalho dos técnicos é mais rápido e eficiente, pois os dados convergem em rede. Isso significa que, em caso de variações graves na acuidade de cada paciente, a central pode mobilizar com mais segurança a equipe médica para que ela tome as providências com mais agilidade.

O monitoramento remoto pode ser realizado a partir de uma central de monitorização, que conecta todos os monitores multiparamétricos alertando sobre a evolução das necessidades de cuidados. Ou seja, é importante escolher monitores que se conectam em rede facilitando, assim, o atendimento complexo que um hospital ou uma clínica realizam.

2. Configuração modular

Geralmente, o monitor multiparâmetro adquirido para o seu hospital já possui configuração de fábrica para monitorização de atividade cardíaca (ECG), respiração, saturação do oxigênio (SPO2), temperatura, entre outros que cada fabricante pode oferecer.

Mas é imprescindível que esse equipamento possa ser ainda mais personalizado através da inclusão de outros parâmetros de monitoramento de sinais vitais, tais como pressão invasiva (PI), capnografia e impressora térmica, análise de gases, entre outros opcionais. A opção modular de função pode ser um auxiliar do seu médico em condições de contexto variado e oferece praticidade ao poder levar o módulo de uma unidade para outra. Por exemplo, para parâmetros que são menos utilizados dentro do seu centro de terapia intensiva, a capnografia, ou algum outro, por exemplo, você pode adquirir uma quantidade menor desses módulos e levar somente para os monitores em que estiver sendo necessário seu uso em dado momento.

3. Armazenamento e processamento de dados

O monitor multiparâmetro é um equipamento que colhe dados e tendências gráficas para serem lidos e analisados instantaneamente pelo profissional de um hospital ou clínica e enviados em rede para a central de monitorização. 

A alta performance de um monitor multiparâmetro para hospital só é possível se ele contar com uma memória potente para armazenar informações sobre os diversos níveis de acuidade do paciente em mais de 24 horas, podendo chegar até 72h, quando é mais comparável o quadro de evolução do paciente.

O processamento de dados monitorados deve oferecer a máxima precisão de informações para que o profissional se sinta preparado para intervir no estado de saúde.

4. Usabilidade

É preciso entender que a atividade médica é refém de situações imprevisíveis, em que a tomada de decisão, às vezes, acontece em fração de segundos. Por isso, quando se trata da aquisição de equipamentos médicos, especialmente de monitores de sinais vitais, é preciso levar em consideração suas interfaces computacionais, onde as informações de apoio à ação médica são variadas.

Quais gráficos, imagens e textos o equipamento apresenta? Há opcional touchscreen? Quais são os sinais de alerta? Essas são algumas perguntas que você deve se fazer ao pesquisar monitor de sinais vitais para seu hospital ou para sua clínica.

Afinal, é no uso de um equipamento que o usuário – no caso médico, enfermeiro ou outro –  precisa despender pouca carga cognitiva para compreender com clareza o que as informações do monitor significam e poder agir rápido e com confiança.

Poucos equipamentos médicos no mercado são centrados no usuário, o que acaba por dificultar uma relação intuitiva entre médico e tecnologia.

Dessa forma, ao escolher um monitor multiparâmetro para hospital ou qualquer ambiente clínico, faz-se necessário analisar a inteligibilidade, a apreensibilidade, a operacionalidade e a atratividade do equipamento. São esses atributos que caracterizam a usabilidade de tecnologias e resultam em eficiência, produtividade e segurança na ação médica.

5. Portabilidade

A fácil portabilidade do monitor multiparâmetro é um critério pouco mencionado na hora da aquisição. Mas nós lembramos de trazê-lo para este artigo em função do alto volume de intercorrências imprevisíveis para as quais os profissionais de ambientes clínicos devem estar preparados para atuar.

Equipamentos de monitorização de sinais vitais devem ter baixo peso – já com bateria – e contar com acessórios para transporte, como alça acoplada, além de ter design ergonômico e resistente para uso em ambientes adversos.

Agora que você já entende a importância de escolher certo o monitor multiparâmetro para seu hospital, conheça a linha Abraham de monitores da CMOS Drake e descubra qual é o ideal para sua equipe médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog
Tudo sobre o Cardioversor VIVO da CMOS DRAKE

Tudo sobre o Cardioversor VIVO da CMOS DRAKE

Baixar agora
Todos os E-books