5 Erros ao Administrar Medicamentos Utilizando a Bomba de Infusão Inteligente

Admin2

30/06/2022

5 Erros ao Administrar Medicamentos com a Bomba de Infusão

Um estudo publicado na revista científica Drug Satefy, em 2020, catalogou os principais erros ao administrar medicamentos utilizando a bomba de infusão inteligente. Conhecer esses problemas é de extrema importância, já que ele é responsável por mais de quatro mil lesões evitáveis em hospitais, todo ano. 

Mapeando essas falhas, é possível pensar em estratégias para tratar os seus pacientes com muito mais segurança. Então continue a leitura do artigo para descobrir quais são os principais equívocos relacionados ao uso da bomba infusora! 

Erros mais comuns ao administrar medicamentos com a bomba de infusão

Historicamente falando, um dos objetivos da criação da bomba de infusão era reduzir os erros humanos ao administrar medicamentos, já que esses equipamentos médicos permitem a predefinição de dosagens das drogas. 

Contudo, muitas falhas ainda acontecem rotineiramente, comprometendo a segurança dos pacientes durante a terapia infusional. Conheça as principais!

1. Problemas de gestão hospitalar

A eficiência da gestão hospitalar impacta diretamente na segurança e qualidade do tratamento oferecido aos pacientes. Se o ambiente de trabalho for desorganizado, pedidos verbais podem não ser documentados, indicações de tratamentos podem ser trocadas e podem haver medicamentos não autorizados no sistema.

2. Erros na biblioteca de medicamentos da bomba de infusão

A gestão hospitalar também impacta esse ponto, pois é muito comum que a biblioteca de medicamentos da bomba de infusão não esteja configurada adequadamente, podendo ocorrer:

  • ausência de medicamentos;
  • falta da definição das dosagens adequadas das drogas;
  • a concentração de medicamentos não estar de acordo com a dosagem documentada nos pedidos de tratamento;
  • os pedidos de tratamento emitidos pelo médico são em miligramas, enquanto a biblioteca de drogas mostra as dosagens em gramas;
  • não utilização da biblioteca de drogas, administrando os medicamentos por meio do sistema básico;
  • seleção da droga errada na biblioteca.

3. Falhas na hora de programar as bombas de infusão

O erro humano também pode comprometer a segurança dos pacientes ao realizar tratamentos com a bomba de infusão. Os principais foram:

  • programação de volume, taxas ou dosagens de forma equivocada;
  • configuração errada do peso do paciente.

4. Erros ao administrar medicamentos com a bomba de infusão

Aqui pode ser tanto uma falha humana como ineficiência dos processos hospitalares. Os principais erros são:

  • dar o medicamento ao paciente errado;
  • administrar a droga pela via errada;
  • erro ao realizar a técnica de administração;
  • não administração dos medicamentos ou apenas de alguma dose.

5. Falhas gerais

Ainda é possível ocorrer:

  • erros na hora de escolher o tamanho das seringas;
  • problemas nos circuitos elétricos que alimentam a bomba de infusão.

Esses erros são sérios e podem lesionar pacientes, por isso, devem ser evitados a todo custo! Confira o artigo com dez dicas de utilização da bomba de infusão e veja como ter mais segurança ao utilizar esse equipamento médico!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar para o Blog