4 passos para deixar o treinamento médico ainda mais completo

Treinamento médico completo

Estar sempre se aprimorando é fundamental em diversas profissões, mas para as que fazem parte da área de saúde, isso é ainda mais imprescindível. Por esse motivo, oferecer treinamento médico é uma maneira de deixar a sua equipe atualizada.

No entanto, é preciso oferecer conteúdos que sejam atrativos e ligados tanto com a formação de cada profissional quanto com o trabalho que é realizado na clínica ou no hospital.

Neste post trouxemos 4 passos que, quando seguidos, fazem com que esses treinamentos atinjam seus objetivos e tragam benefícios para médicos, pacientes e para a sua empresa de saúde. 

Continue a leitura e descubra quais são.

Porque oferecer treinamento médico

O treinamento médico não visa apenas o aperfeiçoamento do profissional. Agregar novos conhecimentos, sejam eles técnicos ou comportamentais, impacta positivamente em diversos aspectos, tais como:

Quando um profissional da área de saúde se sente mais preparado para trabalhar, sua atuação se torna mais dinâmica, eficaz e engajada, graças à segurança que sente ao executar suas atividades. 

De outro lado, também é importante que os gestores entendam que oferecer treinamento médico não é um custo para a empresa, mas sim um investimento, sobre o qual o retorno será sentido por muito tempo.

Os passos para um treinamento médico completo

Mas o que é preciso para oferecer às equipes médicas treinamentos que agreguem valores e tragam todos esses resultados? Veja os principais passos que você deve seguir:

1. Analise o perfil dos profissionais

É comum em uma clínica ou hospital encontrarmos médicos com tempo de formação e experiências diferentes. Considerando isso, um tema que pode ser relevante para um profissional mais jovem, pode não ser tão interessante para outro que atua há mais tempo.

A análise do perfil dos profissionais ajuda a identificar esses pontos, garantindo que você ofereça a cada grupo conteúdos que realmente tragam novos valores e conhecimentos.

Esse primeiro passo também ajuda a identificar possíveis lacunas de conhecimento, o que pode levar à criação de programas de aperfeiçoamento personalizados, por exemplo.

2. Tenha um bom planejamento

Com as informações do primeiro passo em mãos, chega o momento de planejar o treinamento médico. 

Um bom planejamento permite levantar diversos pontos do projeto e a responder perguntas como:

  • Quais cursos e técnicas serão abordados?
  • Quais novos conhecimentos ou aprimoramentos a clínica/hospital está precisando?
  • Quantas horas de treinamento serão necessárias para que todo o conteúdo seja trabalhado?
  • Quais dias e horários os profissionais podem se ausentar de seus postos de trabalho sem comprometer a dinâmica de atendimento?
  • O treinamento médico será feito por um profissional da casa ou traremos um especialista de fora?

Aqui, é importante lembrar que um planejamento genérico, sem propósito ou direcionamento específico, pode comprometer toda sua estratégia. 

Uma sugestão de abordagem é relacionar a necessidade dos profissionais e da empresa de saúde com assuntos que estejam em evidência no momento. Por exemplo, os meses que falam mais sobre o câncer, podem trazer treinamentos que abordam novos tratamentos, medicamentos, intervenções cirúrgicas etc.

3. Traga conhecimentos técnicos, mas também comportamentais

Para um treinamento médico de sucesso é fundamental mesclar conteúdos técnicos e comportamentais. 

Nessa etapa, é preciso lembrar que esses profissionais lidam diariamente com vidas e que, muitas vezes, a correria do dia a dia e as urgências dos atendimentos podem comprometer a relação com os pacientes.

Somado a isso, há também a questão emocional dos próprios médicos, que precisam lidar com os sentimentos dos pacientes, mas também com os seus.

Novas técnicas são essenciais para o aprimoramento e, quanto mais praticadas, melhores serão executadas. É possível pensar no comportamental da mesma forma, oferecendo conteúdos que tragam crescimento como pessoas e profissionais.

Para atender isso, você pode contar com apoio de coaches e psicólogos, por exemplo, criando grupos pequenos de discussão, ou mesmo reunindo toda a equipe para abordar algum tema comum e interessante a todos.

Na parte prática, uma estratégia que vem sendo bastante aplicada, com excelentes resultados, é o ensino mediado por técnicas de simulação e treinamento de habilidades de comunicação para posterior debriefing, através da criação de cenários o mais próximo possível de situações de atendimento reais.

4. Use a tecnologia e demais artifícios

Saindo da parte teórica, o quarto passo para um treinamento médico mais completo nos leva à simulação dos procedimentos, essenciais para aprimoramento e que para os profissionais saibam exatamente como proceder em situações reais.

O uso de atores e de simulações de atendimento controlado para posterior debriefing, garantem a melhoria contínua e os ciclos de treinamento médico e de aprimoramento. Além disso, oferecem mais segurança aos pacientes nas situações reais, já que todas as técnicas e procedimentos são praticados e testados antes pelos profissionais.

Com diversos equipamentos disponíveis, muitos com recursos tecnológicos, um que merece estar presente no seu projeto é o uso de manequins de simulação, que são utilizados na simulação realística em ambientes controlados e que proporcionam aprendizado e aprimoramento contínuo dos profissionais.

Qualquer profissional que esteja executando uma atividade nova, ou praticando uma que não realiza há algum tempo, tende a sentir um pouco de insegurança. O mesmo acontece com médicos e demais profissionais da área de saúde. A simulação feita em manequins realísticos minimiza essa sensação, trazendo mais confiança na hora de realizar atendimentos reais.

Somado a isso, temos a questão da segurança do paciente e de todas as demais vantagens da utilização desse recurso de treinamento médico, tais como desenvolvimento de habilidades, amadurecimento das práticas e outras.

Manequins e simuladores da CMOS DRAKE

Contando com alta tecnologia, os manequins e simuladores da CMOS DRAKE possuem diversos recursos que levam a inúmeras vantagens. Veja os principais:

  • respiração espontânea;
  • choro e fala;
  • pulsação;
  • sinais vitais com programação prévia;
  • peças anatômicas para treinamento de diversas habilidades médicas e de enfermagem, por exemplo:
    • punção venosa;
    • aferição de pressão arterial;
    • exames clínicos;
    • procedimentos e cuidados paleativos;
    • tratamento de feridas, entre muitos outros no qual o profissional pode e deve se aprimorar continuamente.

Vantagens do uso de simuladores

A principal vantagem de utilizar equipamentos para um treinamento médico, como os manequins de simulação realística é a possibilidade de realizar todos os procedimentos e técnicas sem precisar de pessoas reais para isso. 

Isso torna todo o processo de aprendizado mais seguro, tanto para os profissionais quanto para os pacientes, evitando desconforto, dor e até o risco de infecções.

Conclusão

Para um treinamento médico completo e de sucesso, é fundamental considerar as necessidades de aprimoramento de cada membro da equipe, quais qualificações a empresa de saúde precisa para crescer, bem como a utilização de recursos tecnológicos modernos e atuais.

Mas além desses equipamentos, existem muitos outros que não podem faltar na sua clínica, por exemplo.  Para saber quais são, baixe o guia “O que não pode faltar na infraestrutura da sua clínica” e garanta que o seu negócio seja completo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog