Dispositivo de Feedback: como auxilia a monitorar a qualidade da RCP

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) 17,5 milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência de doenças cardiovasculares. Um dado pouco discutido que se torna ainda mais alarmante quando se sabe que mais de 90% das vítimas morrem antes mesmo de chegar ao hospital.

A conclusão é que se torna cada vez mais urgente a necessidade de discutir a qualidade da RCP e o uso de dispositivo de feedback para salvar vidas. 

Cada vez mais, ter o conhecimento dos procedimentos de ressuscitação cardíaca e do uso de Desfibriladores Externos Automáticos (DEA) é determinante para evitar a morte do paciente. Unindo as medidas emergenciais e manobras de salvamento com a tecnologia do dispositivo de feedback de RCP é possível duplicar a taxa de sobrevivência. 

Confira o artigo completo e entenda como se preparar e preparar seu ambiente de trabalho e lazer para essa ação. 

O que é feedback de RCP e como funciona essa tecnologia

O Feedback de RCP é o dispositivo que atua em conjunto com o DEA para tornar mais seguro, completo e eficaz o atendimento a vítimas de paradas cardíacas. Ele é um sensor que deve ser afixado entre a mão do socorrista e o peito do paciente no momento da RCP para monitoramento da qualidade do procedimento. O sistema inteligente e automatizado avalia e orienta sobre como proceder de maneira mais eficaz com as compressões torácicas. Esse sistema aparece como um apoio tecnológico para trazer mais segurança no atendimento a vítimas de paradas cardiorrespiratórias.

O Feedback de RCP maximiza o poder de ação e efetividade do DEA, tudo isso de forma ágil, segura e eficiente.

O aparelho orienta o socorrista durante a RCP, analisando a frequência e a profundidade das compressões e enviando comando de texto e voz para que o socorrista possa adequar as manobras da forma necessária para evitar a morte do paciente.

A tecnologia presente no dispositivo de Feedback de RCP é capaz de medir o deslocamento do tórax do paciente e se a velocidade das compressões está adequada, e, com isso, avaliar a qualidade do método aplicado, ou seja, do nível das manobras e compressões torácicas utilizadas pelo socorrista.

Como o dispositivo de feedback atua no monitoramento de RCP?

Esse apoio tecnológico é capaz de medir se as compressões estão sendo realizadas da maneira correta. São os mecanismos e a engenharia precisa de medição do deslocamento e da aceleração que possibilitam a real avaliação do cenário em tempo real.

É importante lembrar que não existe outra forma de medir a profundidade e o ritmo adequado da RCP que não seja esse equipamento. Um observador a olho nu não consegue medir e mesmo um socorrista profissional, por mais bem treinado e experiente que seja, não consegue mensurar se está deslocando o tórax na profundidade correta. Cada paciente é de um tamanho e possui um biotipo.

Porque o dispositivo de feedback de RCP é tão importante 

Fica evidente como o aparelho de feedback de RCP aparece como um avanço tecnológico necessário para para a sobrevivência de vítimas de problemas cardiorrespiratórios. Principalmente quando sabemos que a atuação conjunta do DEA com o dispositivo e a RCP pode chegar a duplicar ou mesmo triplicar a taxa de sobrevivência dentre os pacientes. 

Mas se você tem alguma dúvida sobre a necessidade da utilização desse tipo de sistema, levantamos algumas informações para reforçar sua importância. 

Se o primeiro socorro em casos de de arritmias malignas, infartos e paradas cardiorrespiratórias é indispensável, o uso dessa tecnologia contribui diretamente com a redução de taxa de mortalidade de vítimas de problemas cardiorrespiratórios. 

O número alarmante de mortes por problemas cardiorrespiratório é um reforço ainda maior para se preocupar com o conhecimento e compartilhamento de informação dessas medidas. No Brasil, a cada 40 segundos uma pessoa morre por doenças cardíaca, compondo um número de vítimas que ultrapassa câncer e demais infecções virais.

Fica mais que evidente que todo cuidado é pouco, e que o atendimento urgente somado a essa tecnologia é indispensável para evitar a morte do paciente.

Como utilizar dispositivos de feedback

Utilizado de forma correta, os dispositivos de feedback podem triplicar as chances de sobrevivência das vítimas.

O dispositivo de Feedback de RCP do DEA CMOS DRAKE, por exemplo, é bastante intuitivo e rápido de ser usado, uma vez que já vem acoplado juntamente com os eletrodos descartáveis. Por isso, basta posicioná-lo no tórax do paciente para que o dispositivo inicie a avaliação e funcione emitindo os comandos e orientações. Essas orientações ditam tanto a frequência de compressões como a intensidade de força necessária durante as manobras. 

Confira agora as orientações para realizar o tratamento de RCP com o auxílio do dispositivo de Feedback:

  1. O primeiro passo é deitar a vítima de barriga para cima, certificando que esteja sobre uma superfície rígida e que suas vias aéreas estejam desobstruídas.
  2. Com o DEA já disponível, ligue o equipamento, conecte os eletrodos descartáveis no peito do paciente (conforme indicação de posição nos eletrodos) e então conecte o dispositivo de Feedback de RCP ao DEA. No caso do DEA da CMOS DRAKE, você não precisa se preocupar com esse passo, pois o dispositivo já vem acoplado no mesmo conector que os eletrodos adesivos.
  3. Siga as instruções dadas pelo DEA, e quando ele solicitar que realize a RCP, ajoelhe-se ao lado da vítima e posicione o dispositivo no tórax dela para iniciar as compressões, seguindo os comandos do equipamento.
  4. Coloque as duas mãos sobre o centro do tórax da vítima, deixando os braços do socorrista esticados e os dedos cruzados. De maneira rápida e profunda, o socorrista deve comprimir o tórax do paciente com o peso do seu corpo, realizando esse movimento entre 80 e 100 compressões por minuto. 
  5. O Feedback irá identificar, em tempo real, a qualidade do RCP, emitindo novos comandos.
  6. Não interrompa o procedimento nem mesmo durante o eventual transporte da vítima. Caso esteja cansado, troque de lugar com outra pessoa para continuar realizando os movimentos.

No vídeo abaixo você pode entender como realizar uma ressuscitação cardiopulmonar de qualidade através do apoio tecnológico do sistema inovador dos dispositivos de Feedback de RCP. Assista!

Salvando vidas em emergências cardíacas

Para profissionais, socorristas e pessoas capacitadas em BLS (Suporte Básico de Vida) ou ACLS (Suporte Avançado de Vida em Cardiologia), o Feedback de RCP oferece maior qualidade tanto para o atendimento em si quanto para o aperfeiçoamento em treinamento.

Mas é importante que pessoas leigas também saibam a importância desse equipamento, pois, o primeiro socorro urgente pode determinar a sobrevivência das vítimas de falência cardiovascular e/ou respiratória.

Ao combinar tecnologia e técnicas de compressão torácica, bombeando o coração e melhorando o fluxo sanguíneo é possível duplicar as chances de sobrevivência e evitar uma das principais causas de morte no mundo. 

E lembre-se: mesmo que você não tenha grandes conhecimentos, comece as manobras, pois, embora o Feedback de RCP oriente e ajude como proceder corretamente; é melhor prestar algum atendimento do que deixar a vítima sem nenhum tipo de socorro. E é preciso atenção, pois em caso de paradas cardiorrespiratórias em recém nascidos ou crianças o procedimento passa por adaptações.

Saiba como salvar a vida de uma criança que sofre parada cardiorrespiratória.

Caso queira entender mais técnicas e ter acesso a mais informações cruciais para primeiro socorros nesses e em outros casos, baixe nosso guia “Como salvar mais vidas em emergências cardíacas – A importância do Feedback de RCP no DEA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog