DEA x Desfibrilador Manual — Entenda Todas As Diferenças

DEA x desfibrilador manual

Você sabe as diferenças entre DEA x desfibrilador manual? Os dois equipamentos são desfibriladores externos, ou seja, emitem uma carga elétrica através do tórax para chegar ao coração do paciente e reestabilizar os batimentos em casos de arritmias cardíacas em que eles estejam batendo desordenadamente. E para ese tipo de tratamento existe o modelo de desfibrilador automático (DEA) e o modelo manual.

Confira neste artigo as principais diferenças entre DEA x desfibrilador manual!

DEA x desfibrilador manual: quais as diferenças?

A principal diferença entre DEA x desfibrilador manual é a forma de operação do aparelho.  Veja mais abaixo!

Desfibrilador manual

Este tipo de equipamento está presente em ambientes hospitalares, como é o caso de:

  • salas de cirurgia;
  • pronto atendimento;
  • unidades de tratamento intensivo, dentre outros. 

Esse modelo, por ter a regulagem manual, só pode ser operado por profissionais habilitados. Pois o médico irá definir a necessidade do tratamento e a carga de energia (joules) que será aplicada no tratamento.

A configuração do aparelho ocorre da seguinte forma: eles possuem duas pás, que devem receber o gel condutor para, posteriormente, serem posicionadas no peito do paciente. 

Desfibrilador externo automático (DEA)

O desfibrilador do tipo DEA, por ser automático, pode ser utilizado por pessoas que não são profissionais de saúde, desde que tenham feito um treinamento simples para aprender a manejar o equipamento. 

Esse aparelho consegue detectar e analisar os batimentos cardíacos do paciente e, se for diagnosticada (de forma automática) a arritmia o, ele solicita o disparo da descarga elétrica adequada para estabilizar o ritmo. E nesse caso o operado apenas aperta o botão, quando solicitado pelas instruções de voz do aparelho, sem ser necessário determinar qual será a intensidade do choque. 

Enquanto o desfibrilador manual é indicado para ambientes hospitalares, o DEA já é indicado para ambientes fora dos hospitais.

Como ele pode ser utilizado por quem é leigo e tem um importante papel na hora de salvar vidas, de acordo com a legislação vigente, esse equipamento é obrigatório em ambientes que ocorre a circulação de mais de 2 mil pessoas por dia. 

É extremamente recomendado que ele esteja presente nos mais diversos ambientes, afinal ele serve justamente para ser usado antes da chegada do resgate.

DEA e desfibrilador manual é com a CMOS DRAKE

A CMOS DRAKE tem a missão de prover para todos os brasileiros o acesso a equipamentos médicos de emergência médica para reduzir o altíssimo índice de mortes por paradas cardíacas.

O DEA CMOS DRAKE foi o pioneiro da América Latina e é referência de excelência e qualidade em todo o mundo. Por ser extremamente ágil, ter um equipamento desses pode fazer toda a diferença na hora de salvar uma vida. Ele é capaz de fazer a leitura do eletrocardiograma e determinar o tratamento adequado, tudo em questão de segundos!

Já o desfibrilador manual é leve, compacto, fácil de ser carregado e adaptável para adultos e crianças. Além disso, ele também possui pás internas que podem ser utilizadas para uso em procedimentos invasivos, como cirurgias.

Para adquirir é fácil! Compre direto da fábrica coma CMOS DRAKE!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog