Como escolher o oxímetro de pulso ideal para situações emergenciais

O oxímetro de pulso se tornou um equipamento bastante conhecido recentemente, com a pandemia do novo Coronavírus. Ele é um aparelho usado para a medição da quantidade de oxigênio no sangue.

Esse equipamento se faz necessário para realizar o controle de várias doenças respiratórias. Inclusive, é muito utilizado por praticantes de esportes radicais, como montanhistas, ou por aqueles que visitam lugares muito altos, onde o oxigênio se torna rarefeito.

Além de medir a porcentagem de oxigênio presente no sangue, o oxímetro tem outra função: monitorar a frequência cardíaca dos usuários.

Como funciona o oxímetro de pulso

Ele é um aparelho bem fácil de ser utilizado e o seu método de medição é não invasivo. Isso contribuiu muito para sua consolidação no mercado. O oxímetro deve ser colocado na ponta de um dedo, no mesmo local onde se localiza a unha, formando algo como um “sanduíche”, para que a aferição seja feita.

Funciona da seguinte maneira: o oxímetro de pulso emite uma luz em um dos lados do dedo, que atravessa a corrente sanguínea. Ela é filtrada de acordo com o nível de saturação do oxigênio.

No outro lado do aparelho, então, aparece a leitura com o resultado – que possui um alto nível de precisão.

Valores normais em um oxímetro

Para uma pessoa saudável, os níveis de saturação de oxigênio no sangue costumam ser entre 95% e 100%. Porém, alguns casos aonde os valores cheguem a 90%, podem ser considerados normais. Tudo vai depender da situação.

No entanto, quando os níveis chegam a 89% ou menos, existe o perigo do funcionamento das células já estar comprometido, acarretando diversos problemas.

É importante lembrar que o oxímetro é um equipamento bastante importante no monitoramento, mas não pode substituir a análise clínica e nem a medição de gás sanguíneo arterial. Apenas com o diagnóstico completo será possível tomar decisões corretas sobre cada caso.

A identificação da diminuição de oxigênio no sangue pode sugerir um tratamento com a suplementação desse gás, por meio da oxigenoterapia.

Como escolher o melhor oxímetro de pulso

Escolher qual o melhor modelo de oxímetro de pulso vai depender de pessoa para pessoa. Essa variação depende da necessidade pessoal de cada um. Sendo assim, o primeiro ponto a ser levado em consideração na hora da compra do aparelho é saber qual o uso que lhe será dado.

Um médico, por exemplo, que utilizará o equipamento em seu consultório, deve optar por um oxímetro de pulso com maior precisão, durabilidade e confiança, mesmo que seu preço seja mais caro.

Já um paraquedista, pode usar um modelo mais leve e simples, conforme a utilização que será feita.

Mas há alguns pontos que você precisa observar na hora em que for comprar um oxímetro de pulso. A seguir, vamos apontar alguns deles.

1. Precisão

Em geral, a precisão da aferição de grande parte dos oxímetros de pulso tem a previsão de uma margem de erro de 2%. Isso é suficiente para o atendimento da maioria das pessoas.

Entretanto, se o que você procura é um equipamento para uso médico, o ideal é pesquisar por modelos com maior acuidade. Também é preciso verificar se o oxímetro está na lista de aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

2. Bateria

Para aquelas pessoas que utilizarão o oxímetro de pulso em casa, a duração da bateria não é um item tão importante. Mas para quem vai utilizá-lo em algum tipo de esporte radical, como uma escalada, precisa se atentar a isso.

O ideal é procurar saber qual a duração média da bateria do aparelho para que você efetue a compra. Assim, evita problemas futuros com o seu uso.

3. Alarme

Existem alguns oxímetros de pulso que vêm com a opção de alarme. Ele serve para indicar algum tipo de anomalia. Esse seria o tipo de equipamento aconselhado para o uso de pessoas leigas.

Dessa maneira, conhecendo essa função, entraria em contato imediato com o médico logo após o toque do alarme.

4. Visor

Modelos de oxímetros de pulso podem ter vários designs e apresentações. Alguns deles apresentam os números grandes, o que é bom para a melhor visualização de idosos.

Outros aparelhos terão os visores iluminados, para que a visualização seja melhor em ambientes com pouca iluminação. Com tudo isso, mais uma vez, a escolha do aparelho ideal vai depender do uso que se fará dele.

5. Durabilidade

Quando o oxímetro de pulso é usado com o devido cuidado, não há por que apresentar problemas. Contudo, se o uso for contínuo, o equipamento sofrerá maiores desgastes, o que pode diminuir seu tempo de uso.

Para aqueles que pretendem utilizá-lo frequentemente, o recomendado é optar por materiais e designs mais resistentes e robustos, que prolonguem o tempo de vida útil do aparelho.

Caso você ainda esteja com alguma dúvida sobre qual modelo de oxímetro de pulso escolher, o ideal é consultar o seu médico. Ele poderá indicar o exemplar correto para o seu caso e qual terá o melhor custo-benefício.

Cuidados ao usar o oxímetro

– Não usar o aparelho em uma atmosfera explosiva;

– É somente um complemento na avaliação dos pacientes;

– Verificar se a integrabilidade e a circulação da pele dos pacientes estão em boas condições;

– Não possui alarmes de SpO2. Sendo assim, não é usado para monitoramento contínuo;

– Ao usar por um longo período, deve-se trocar os dedos onde o aparelho que irá permanecer;

– Aferições imprecisas podem acontecer por esterilização com produtos não indicados;

– A recomendação é utilizar álcool medicinal para a limpeza da borracha antes de realizar cada teste. Também é preciso limpar o dedo com o álcool antes e depois do exame.

O artigo foi útil para você? Acesse o site da Cmos Drake e conheça nosso oxímetro de pulso.

Você também pode falar com nossos especialistas e tirar suas dúvidas sobre este e outros de nossos produtos. Somos uma indústria de equipamentos médicos pioneira em desfibriladores na América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog