Ventilador Pulmonar Avançado: modos de ventilação e características essenciais para recuperação do paciente

O ventilador pulmonar avançado é um equipamento essencial para o suporte de vida do paciente que está internado em Centros de Tratamento Intensivo (CTI). Geralmente, os pacientes desse setor têm dificuldades para respirar sozinhos, portanto, esse equipamento é o que os mantêm vivos.

O que é um Ventilador Pulmonar Avançado

Os ventiladores pulmonares são equipamentos médicos que tem como principal objetivo ajudar os pacientes que apresentem algum grau de insuficiência respiratória. De uma maneira mais simples, podemos dizer que os ventiladores pulmonares são as máquinas que respiram pelos pacientes, quando esses não têm condições de fazê-lo.

Esse tipo de aparelho funciona administrando a quantidade de oxigênio que entra e sai do pulmão do paciente, assim como, a mistura de gases usada na respiração. O tipo de respiração e a mistura de gases vária de acordo com as necessidades de cada um. Dessa forma, esse equipamento pode ser configurado para atuar de diferentes maneiras.

Quando usar um Ventilador Pulmonar Avançado

Esse modelo de ventilador pulmonar é preparado para ser utilizado em diferentes situações com os mais diversos tipos de gravidade, sendo assim, um equipamento bastante versátil e completo. Mas normalmente esses modelos avançados estão mais associados a Unidades e Centros de Terapia Intensiva (CTIs e UTIs).

A ideia de um modelo avançado é de que ele possa se adaptar as várias fases do quadro clínico do paciente, desde o quadro do início do problema respiratório, até a piora, estabilidade, melhora e recuperação. Um Ventilador avançado, é aquele que possui diversos modos ventilatórios para de adaptar as diferentes características  do momento que o paciente se encontra.

Por exemplo, um modelo de transporte, não terá modos variados de ventilação, pois destina-se a ficar momentaneamente no paciente. O modelo avançado prevê acompanhar o paciente durante um período de tempo maior e portanto, deve permitir maiores ajustes e personalização para auxiliar na recuperação do paciente.

O ventilador pulmonar avançado pode ser utilizado em casos de paradas cardíacas, insuficiências respiratórioas graves e traumas de grandes proporções. Além disso, também podem ser usados durante o pós-operatório e recuperação, por exemplo através de sua função com suporte de pressão para respiração espontânea, que auxilia os pacientes durante a recuperação da sua capacidade respiratória, no processo conhecido como desmame do paciente. (Confira aqui mais diferenças entre Ventilador Pulmonar para transporte e o modelo para CTI)

Dentro de cada uma dessas situações pode ser aplicado um modo de ventilação diferente. Eles controlam as atividades de inspiração e expiração dos pacientes de acordo com a variação de fluxo e pressão dos gases.

Quer aprofundar mais no assunto ventiladores? Então confira aqui como escolher o modelo ideal de Ventilador Pulmonar para cada ambiente.

Existem diversos modos ventilatórios disponiveis nos equipamentos. Ventiladores pulmonares avançados podem trabalhar com respiração espontânea, controlada, assistida e não assistida e modos ventilatórios que combinam diferentes formas de controle da respiração. E Além dos modos ventilatórios mais conhecidos, os ventiladores avançados, ainda contam com formas mais complexas de respiração. Entre elas, vamos destacar 2 modos principais: o PRVC e o IPPV.

Modos de Respiração Avançado


PRVC –
Ventilação com pressão regulada e volume controlado

Esse modo de ventilação funciona em ciclos com duração de tempo definidos, na qual um valor máximo para a pressão é estipulada, sendo que o volume dos gases durante a respiração vai servir de base para os cálculos do próximo ciclo.

Sendo assim, a cada ciclo o ventilador pulmonar avançado vai reajustar os limites de pressão considerando o volume do ciclo anterior. Ele vai continuar fazendo esses ajustes até alcançar o valor máximo para pressão que foi definido pelo responsável por operar o aparelho.

É utilizado em casos que exijam uma corrente constante e um maior controle da pressão. Além disso, esse modelo de respiração permite que os níveis de pressão diminuam automaticamente de acordo com a melhora da capacidade respiratória do paciente. Por isso ele é considerado um modo avançado, capaz de acompanhar as variações das condições clínicas do paciente e permitir sua melhor recuperação.

É preciso ter atenção no momento de definir a quantidade de pressão colocada no sistema. O nível errado pode levar a uma redução do suporte ao paciente, dificultando o seu processo respiratório. Por isso é importante que o equipamento seja manuseado por pessoas capcitadas em ventilação mecânica.

 

IPPV – ventilação com pressão positiva intermitente

Esse modo ventilatório prevê a aplicação de pressão positiva à fase inspiratória. o IPPV é um método eficiente de suporte ventilatório passivo utilizado com o objetivo de restabelecer a função
pulmonar do paciente.

Ele é usado para aumentar a ventilação e descansar a musculatura respiratória de pacientes com insuficiência respiratórias crônicas e graves, como quelas decorrentes de doenças neuromusculares e/ou de doença pulmonar obstrutiva crônica. Afinal esse modo diminui o trabalho ventilatório e é eficiente em reverter casos graves mais precocemente que outros modos tradicionais. Por ser um modelo bastante invasivo, é comum que o paciente precise ser sedado pelo período de tempo em que precisar utilizar o ventilador pulmonar.

 

Modos de respiração tradicionais

Um ventilador pulmonar avançado, além dos modos avançados, também deve adaptar-se aos modos menos complexos e tradicionais de ventilação invasiva e não invasiva. Abaixo segue os exemplos dos principais modos tradionais essenciais para um modelo de ventilador pulmonar avançado:

Ventilação Não Invasiva

 

— CPAP

Ventilação com pressão positiva contínua nas vias aéreas. Nesse modo paciente ventila sozinho com a ajuda de uma pressão positiva predefinida durante os ciclos respiratórios.

— APRV

Ventilação com alívio de pressão nas vias aéreas. Esse modo permite que o paciente respire espontâneamente sob uma pressão positiva contínua nas vias áreas, com pequenos intervalos nos quais a pressão diminui. Esse modo de ventilação é também conhecido por muitos como BI-PAP ou Bi-level.

 

Ventilação Invasiva

 

— AC-VCV

Ventilação assisto-controlado por volume controlado é um modo de respiração que garante que um volume corrente predefinido seja entregue ao paciente de acordo com valores predeterminados para o fluxo e para o tempo de inspiração.

— AC-PCV

Ventilação assisto-controlado por pressão controlada é um modelo de respiração no qual os níveis de pressão são controlados, causando uma desaceleração no fluxo. Dessa forma, é possível aumentar o tempo de inspiração e diminuir os riscos de um barotrauma.

— V-SIMV

Ventilação mandatória intermitente sincronizada com volume controlado é um modo de respiração no qual os esforços ficam divididos entre o paciente e o ventilador pulmonar avançado. Nesse caso, o volume corrente entregue no clico é predeterminado.

— P-SIMV

Ventilação mandatória intermitente sincronizada com pressão controlada é o modelo no qual paciente e máquina trabalham alternadamente, sendo que, cada inspiração inicia um ciclo novo do equipamento, que trabalha com um nível de pressão específico.

— PSV

Ventilação com pressão de suporte é o modo de respiração em que o paciente é responsável por iniciar e manter o processo respiratórios, no qual a máquina tem como função auxiliar a inspiração por meio de níveis preestabelecidos de pressão positiva.

 

Outras características importantes para um ventilador avançado

 

Por se tratar de um equipamento avançado e utilizado quando o paciente se encontra em estado grave, o ventilador pulmonar avançado precisa ser equipado com diferentes itens de segurança. Entre os principais itens de segurança, podemos citar por exemplo:

— Backup de ventilação

Essa é uma opção de ventilação que é acionada imediatamente quando o paciente apresente um caso de apneia. Além disso, essa função também deve poder ser ativada com o clique de um botão, através do painel, e poder ter suas configuações alteradas preiamente pelo operador..

— Baterias de longa duração

O funcionamento fora da energia elétria é de extrema importância para casos de falta de energia ou em situações que é preciso o transporte rápido dos pacientes. Nesses casos, é preciso garantir que o aparelho continue funcionando mesma sem estar ligado a energia elétrica.

— Autoteste realizado toda vez que o equipamento é ligado.

Essa funcionalidade do ventilador mostra se o equipamento está funcionando corretamente ou se existe alguma falha no sistema. Além disso, essa função precisa estar disponível no painel da máquina para consultas e inspeções sempre que necessário.

Entre outras características que você pode conferir com mais detalhes no conteúdo a seguir:

Ventilador Pulmonar Avançado para CTI – Como escolher e comparar

 

Tem alguma dúvida sobre o equipamento do tipo avançado? CLIQUE AQUI e tire suas dúvidas com nossos especialistas!

 

Nós somos a CMOS DRAKE,  indústria brasileira pioneira com mais de 30 anos de atuação no mercado de equipamentos médicos, a CMOS DRAKE segue atuante como referência em tecnologia médica com a incorporação das melhores tecnologias do mundo na indústria brasileira segundo rígidos padrões de qualidade da ANVISA.

CONHEÇA O VENTILADOR PULMONAR AVANÇADO PARA CTI RUAH

E além dos ventiladores pulmonares, na CMOS DRAKE você ainda encontra outros equipamentos essenciais para equipar um centro de tratamento avançado e que são essenciais nesse momento de pandemia. Confira e conheça alguns deles:

BOMBA DE INFUSÃO

BOMBA DE INFUSÃO

CARDIOVERSOR VIVO

CARDIOVERSOR VIVO

MONITORES DE SINAIS VITAIS

MONITORES DE SINAIS VITAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog