Aprenda agora 11 maneiras de controlar a taquicardia

controlar a taquicardia

Nem sempre sentir o coração acelerado é sinal de uma doença mais grave. Há diversas situações no dia a dia que podem levar a essa condição, e saber como controlar a taquicardia ajuda a ter de volta a sensação de bem-estar e normalidade.

Mas além de saber como fazer para que os batimentos cardíacos voltem ao normal, é importante conseguir identificar quando esse quadro indica uma arritmia cardíaca, situação que torna a ajuda médica fundamental.

Por isso, criamos este artigo que vai lhe orientar em ambos os casos. Para entender melhor cada um deles e como agir em cada caso, basta continuar a leitura.

O que é taquicardia e quais as causas?

Antes de começarmos a explicar como controlar a taquicardia, é importante que você entenda um pouco melhor sobre o que se trata essa condição.

A taquicardia consiste no aumento do número de batidas do coração. Considerado normal termos entre 60 a 100 batidas por minutos, o aumento desse número pode ser a indicação de uma doença cardíaca, mas também uma resposta natural do organismo a alguma condição externa.

O consumo de cafeína, tabaco, álcool, drogas estimulantes, ou mesmo o efeito colateral de certos remédios, são alguns fatores que podem desencadear uma taquicardia. Além desses, situações de medo, susto, dor, estresse, crises de ansiedade ou de pânico, além de exercícios físicos intensos, também podem levar ao aumento da frequência cardíaca.

O que acontece quando os batimentos estão acelerados? 

Quando o coração está acelerado, é normal sentir palpitação, falta de ar ou respiração rápida, cansaço, tontura, vertigem, fraqueza e até sensação de desmaio. 

O fluxo sanguíneo e o aporte de oxigênio também podem ficar comprometidos. Mas, em situações que não são decorrentes de alguma patologia, podem ser aplicadas técnicas para controlar a taquicardia e evitar consequências graves.

Quando a taquicardia pode ser sinal de algo mais grave?

Por outro lado, temos as causas do aumento do ritmo cardíaco devido a diferentes doenças, como as cardíacas, pulmonares, alterações na tireoide, hipertensão e outras.

Nesses casos, o número de batimentos cardíacos pode chegar a 200 por minuto. Em condições como essas, ainda que se saiba exatamente como controlar a taquicardia, o atendimento médico se torna essencial para que a vítima receba o tratamento adequado e tenha a função normal do coração restabelecida, evitando o agravamento do quadro.

Porém, nem todas as pessoas sabem que estão com alguma patologia, sendo muitas, inclusive, silenciosas. Assim, uma forma de identificar quando é necessário buscar socorro por conta da taquicardia é:

  • identificar se os batimentos demoram mais de 30 minutos para normalizarem;
  • caso haja dor que se irradia do peito para o braço esquerdo;
  • quando há dor de cabeça ou falta de ar intensa;
  • se houver desmaio e/ou febre associados;
  • quando se sente o aumento dos batimentos cardíacos mais de 2 vezes por semana.

Sempre que identificar esses sintomas em conjunto, procure um médico imediatamente.

Como controlar a taquicardia? Veja 11 maneiras!

Com todas essas informações em mente, fica mais claro identificar quando o coração está batendo mais rápido devido a um fator externo temporário e esporádico, ou por conta de alguma possível doença. 

No caso de uma resposta natural do organismo, você consegue restabelecer os batimentos normais utilizando uma das técnicas abaixo:

  1. bebendo um copo de água bem gelada;
  2. forçando a expiração pelo nariz com as narinas tampadas (manobra de valsalva);
  3. mergulhando, por um breve período, o rosto em um recipiente com água bem fria ou gelada;
  4. colocando uma toalha umedecida com água gelada no pescoço;
  5. tomando uma xícara de chá calmante, como o de camomila ou maracujá;
  6. pressionando, levemente, os dedos indicador e médio contra os olhos fechados;
  7. mantendo a calma e controlando a respiração, inspirando pelo nariz e expirando pela boca; 
  8. ficando em pé e dobrando o tronco em direção às pernas;
  9. tossindo com força por 5 vezes seguidas;
  10. soprando o ar, vagarosamente, com a boca semifechada por 5 vezes;
  11. contando de 60 a 0 de maneira lenta e olhando para cima.

A maioria dessas ações visam ativar o nervo vago, estrutura que passa pela nossa cavidade torácica. Ativando-o, ele tende a baixar os batimentos cardíacos, restabelecendo seu funcionamento normal.

Mas mesmo obtendo resultados com uma das maneiras de controlar a taquicardia citadas, é indicado evitar situações que possam levar ao quadro novamente. 

Por isso, a dica para manter o bem-estar e o ritmo normal do seu coração após restabelecido é evitando bebidas e alimentos estimulantes, como café, chocolate e energéticos, bem como reduzir (ou eliminar) o consumo de álcool, drogas e cigarro, além de situações de estresse intenso e outras situações que podem desencadear a taquicardia.

Conclusão

Antes de saber como controlar a taquicardia, é essencial entender as suas causas e diferenciar quando se trata de uma manifestação normal do organismo, ou de uma doença que requer atendimento médico.

Algumas patologias, inclusive, pedem intervenção imediata. É o caso das que levam a um quadro de PCR, Parada Cardiorrespiratória. Acidentes, hemorragias e doenças cardiovasculares são apenas algumas das causas que podem levar a esse tipo de arritmia.

Ao se deparar com essa condição é essencial que você saiba como proceder, a fim de ajudar a salvar a vida da pessoa vítima da PCR. 

Por isso, baixe agora o nosso Guia de Reanimação Cardiopulmonar e aprenda o passo a passo de como agir nessas situações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Blog