CENTRAL DE VENDAS (31) 3547-3969

A desfibrilação é a aplicação de uma corrente elétrica no coração de um paciente, com o objetivo de evitar a sua morte por parada cardíaca. O DEA (Desfibrilador Externo Automático), aparelho utilizado nesse procedimento, também é indicado para tratar problemas de arritmias, fibrilação atrial ou ventricular e taquicardia.

Apesar de a faixa etária mais afetada pelo problema ser de idosos depois dos 60 anos, a parada cardiorrespiratória também acomete adultos com mais de 40 anos e até mesmo jovens a partir de 18 anos, matando aproximadamente 300 mil brasileiros por ano.

Boa parte dessas mortes poderia ser evitada se próximo ao incidente tivesse um desfibrilador disponível. Tendo isso em mente, é importante não só ter esse aparelho em locais públicos, como também saber utilizá-lo ou contar com socorristas que detenham esse conhecimento.

Neste artigo, preparamos um pequeno guia sobre como utilizar um DEA. Sabendo esses procedimentos, você estará apto a salvar uma vida. Acompanhe!

Preparação para uso do desfibrilador

O primeiro passo a ser dado antes de utilizar um DEA é fazer a massagem cardíaca no indivíduo. Caso esteja acompanhado, é interessante que uma pessoa faça a massagem enquanto a outra vai preparando o aparelho.

A massagem cardíaca precisa ser realizada o quanto antes, principalmente em casos em que não se sabe há quanto tempo o paciente está inconsciente. Faça compressões no peito, intercalando com respirações boca a boca.

Não deixe de telefonar para a emergência, pois o profissional pode ajudar nesse processo dando as orientações corretas.

Utilização do DEA

O uso do desfibrilador acontece segundo os quatro passos seguintes:

  1. Ligue o aparelho: ligue o DEA e escute atentamente às instruções sobre como proceder.
  2. Posicione os eletrodos: normalmente, os eletrodos dos DEAs são adesivos em coxim. O coxim direito deve ser posicionado embaixo da clavícula da vítima, enquanto o esquerdo deve ser aderido abaixo do mamilo esquerdo.

É importante que os eletrodos sejam posicionados corretamente, para que a corrente elétrica atinja mais fibras cardíacas.

  1. Aguarde o aparelho analisar a condição do paciente: depois de posicionar os coxins no paciente, instale o cabo do aparelho na luz indicativa. A partir daí, o DEA irá fazer uma análise do seu ritmo cardíaco.

É o resultado dessa análise que determinará se é necessário aplicar o choque ou não. Quando a análise aponta para a não realização do choque, deve-se prosseguir com a massagem e aguardar a chegada da emergência.

  1. Dê o choque: se a análise do desfibrilador apontar que é preciso efetuar o choque no paciente, veja primeiro se não tem ninguém muito perto ou em contato com o DEA ou com a vítima.

Assim, pressione o botão de choque. É importante ressaltar que o aparelho dá uma descarga elétrica por vez. Em um período de dois minutos, é feita uma nova avaliação do ritmo cardíaco do indivíduo, apontando o próximo passo a ser seguido.

O desfibrilador não deve ser removido após o procedimento. Aguarde o atendimento médico.

Preparações especiais

Antes de posicionar os eletrodos do DEA no paciente, é preciso atentar a alguns detalhes. No caso em que a vítima é um homem com muito pelo na região peitoral, deve-se raspar a área antes da colocação dos coxins, a fim de que eles fiquem aderidos diretamente na pele.

Antes de utilizar um DEA, certifique-se de que o paciente não está molhado. Caso esteja, seque-o.

O eletrodo do desfibrilador também não pode ser colado sobre implantes de marca-passo e medicamentos adesivos, uma vez que pode haver interferência na corrente elétrica. Acessórios de metal como jóias, pulseiras médicas e sutiãs com aro de metal devem ser removidos da pessoa.

Agora que você já sabe como utilizar um DEA, visite nosso site ou ligue para (31) 3547-3969 e conheça nossos produtos. A CMOS Drake é líder na venda de desfibriladores e cardioversores no Brasil.